Blog
Tecnova

Publicado em: sexta, 19 de julho de 2019 às 08:37

Reciclagem: Cores utilizadas e a forma correta de separar resíduos

Reciclagem: Cores utilizadas e a forma correta de separar resíduos

Desde o início da revolução industrial, a produção de todos os tipos de bens vem crescendo de forma exponencial trazendo junto um problema, principalmente para os grandes centros urbanos:  o acúmulo de lixo. Vale lembrar que lixo é qualquer material que foi descartado por não ser utilizado. Quando você consome uma cerveja, a lata é descartada. Quando um micro-ondas, por exemplo, é adquirido, a embalagem, que serve como proteção, não vais mais ser aproveitada. Além das embalagens, as sobras de matéria prima da indústria, por não terem mais utilidade, também são consideradas lixo. 

Porém, a escassez da crise econômica de 1929 e das duas guerras mundiais provocaram estudos para reutilização de todo esse material que até então era jogado fora. Tanto os materiais orgânicos quanto os demais passaram a ter novas utilizações e esse processo recebeu a denominação de reciclagem.

Para que a reciclagem seja possível, o material de descarte deve ser separado de acordo com sua natureza. Assim, foi desenvolvido um sistema de cores e vamos apresentar a seguir como separar, de forma correta, cada resíduo produzido nas residências e na indústria.

As cores

Quando não é possível ter um sistema de lixeiras de cores, o importante é separar os resíduos orgânicos e úmidos (restos de comida), dos secos (plástico e metal) e dos sanitários (lixo do banheiro). A maioria dos municípios tem um sistema de coleta para cada resíduo em dias e horários distintos. Sempre que possível, procure adotar um sistema de lixeiras seguindo o seguinte padrão de cores.

Azul: Papel

A decomposição do papel pode variar de dois meses a dois anos. O principal problema para a natureza são as tintas usadas na impressão pois contém metais pesados em suas fórmulas contaminando o solo e a água quando descartados em aterros. Antes do descarte evite que o papel tenha contato com resíduos líquidos como o café, leite, sucos, restos de alimentos e papel de banheiro. Use um saco de lixo distinto para esse material e coloque nas lixeiras de cor azul. Procure na sua cidade as cooperativas de catadores que trabalham com o papel pois elas darão o tratamento e a reutilização correta.

Vermelho: Plástico

A reciclagem do plástico acontece a partir dos processos de separação (conforme sua composição de origem), revalorização (volta a ser matéria-prima) e transformação (gera um novo produto). Existem empresas especializadas na reciclagem de plásticos. Descarte nas lixeiras de cor vermelha.

Verde: Vidro

O tempo estimado para a decomposição do vidro na natureza é de 10 mil anos. A boa notícia é que esse material pode ser reciclado infinita vezes sem perder a qualidade. A correta separação deve ser feita observando as cores dos objetos (branca, verde e marrom) e sempre que possível separar os vidros planos de outros formatos como garrafas, vasos ou frascos. Ao descartar o vidro, use as lixeiras de cor verde.

Amarelo: Metal

Peças enferrujadas e que não tem mais utilidade podem ser vendidas em centros de reciclagem. Esses centros destinam esse material para fundições que os derretem e os transformam em matéria prima para novos itens. Sempre que possível, separe as peças de metal ferroso dos demais metais. Os metais ferrosos são magnéticos e atraem os imãs. Mesmo que não tenha como fazer essa separação, destine o material de descarte, feito de metal, nas lixeiras amarelas. 

Marrom: Orgânicos

O lixo orgânico é produzido por resíduos de origem animal ou vegetal. Necessita de uma destinação correta para evitar consequências como mau cheiro ou aparecimento de animais, como ratos e insetos, que podem transmitir muitas doenças. A melhor forma de uso do lixo orgânico é através da compostagem e fertilização do solo para a agricultura. A maioria das cidades possui serviço de coleta do lixo orgânico. Deve ser acondicionado em sacos plásticos muito bem fechados e colocados nas lixeiras de cor marrom.

As cores apresentadas acima são as mais usadas e são as mais encontradas em locais públicos, escolas, empresas e clubes. Outras cores também são usadas: preto, para madeira; laranja, para resíduos perigosos; branco, para lixo hospitalar; roxo, para materiais radioativos; e cinza, para resíduos que não podem ser reciclados ou separados por algum motivo (contaminação por exemplo). Seguindo as recomendação apresentadas nesse artigo, estaremos dando a destinação correta ao lixo que produzimos e fazendo uma diferença enorme na preservação do meio ambiente.

Entrar em contato